17.4.17

Nosso próximo show - Festa Realmente Som 5

Estaremos dia 29/04, sábado, no Casarão Floresta (Ladeira dos Guararapes, 115, Cosme Velho, Rio de Janeiro, RJ) para a Festa Realmente Som!

A festa organizada pelo produtor e agitador cultural Luciano Strazzer será uma mais grande ocasião para o som prog/psicodélico autoral, junto com as bandas Kosmus (nossa parceira na CCMP), Pomar, Anjos de Vidro (retornando aos palcos depois de 30 anos) e a paulistana e aclamada Bike, além de canjas e um palco livre paralelo para jams sessions. A Caravela Escarlate está escalada para essa super ocasião e esse é o primeiro show da nossa agenda de 2017.

Ingressos antecipados custam R$ 20,00. E mais informações você encontra aqui: https://www.facebook.com/events/1860505684172683/

Imperdível!



11.4.17

31.3.17

"Rascunho", o primeiro trabalho da Caravela Escarlate


Lançado em 09 de julho de 2016, "Rascunho" é o primeiro lançamento da Caravela Escarlate. Gravado em um período no qual a banda buscava um novo baterista, o disco é um trabalho integralmente executado por David Lino e Ronaldo Rodrigues, tendo sido gravado e produzido de forma independente entre abril e junho de 2016.  

Conforme descrito na arte do álbum, "Rascunho é um trabalho que cristaliza nossas mais básicas influências, ressaltando o lirismo que vem da música brasileira, regional, acústica e do folk internacional. Agregamos a elas elementos de sonoridades típicos do rock progressivo na estrutura das canções, com o encaixe simultâneo de diversas ideias, refutando excessivas linearidades. Ainda que o nome sugira, as canções aqui mostradas não são peças inacabadas. Mostram-se como obras fluidas, como retratos passíveis de serem redesenhados sob nova abordagem, em diferentes tecidos e formatos. Mostram-se como inquietações, como a estrita necessidade de colocar para fora o amplo horizonte musical que tremula em nossas mentes."




O nome do álbum vem do fato que a arte da capa trata-se de um rascunho do desenho elaborado pelo designer gráfico e músico Fabio Gracia, para a capa do futuro disco da Caravela Escarlate como trio, cujas gravações foram interrompidas em dezembro de 2015 (estas gravações serão retomadas em 2017).

O lançamento ocorreu em show ocorrido na segunda edição da mostra da CCMP - Cena Carioca de Música Progressiva, coletivo de bandas progressivas da qual a Caravela faz parte, no Espaço Marun, no Rio de Janeiro, e foi a estreia da nova formação do grupo, contando agora com o experiente baterista Élcio Cáfaro. 


O CD pode ser adquirido diretamente com os músicos da banda, na loja Renaissance Discos ou na Record Runner. Além do lançamento em mídia física, "Rascunho" foi lançado digitalmente pela CD Baby e está disponível em todas as principais plataformas de streaming do mercado - Spotify, Deezer, Itunes, Rdio, Google Music, etc.

https://play.spotify.com/album/7ljDbHueVQ24z5XsSlTBaD?play=true&utm_source=open.spotify.com&utm_medium=open



"Rascunho" vem ganhando resenhas elogiosas em canais de mídia especializada no Brasil e no mudno. Destacamos alguns comentários:

"Rascunho deve ser tratado não como o nome sugere, mas como uma obra definitiva, que irá ser exaltada nos anais do rock progressivo brasileiro pela sua capacidade de tocar a alma, o coração e a mente, de forma metódica e perfeitamente apaixonante." (Mairon Machado, Consultoria do Rock - http://consultoriadorock.com/2016/10/12/caravela-escarlate-rascunho )

"Rascunho" Caravela Escarlate’s debut album is full of promising musical ideas that will unfold to great Progressive works in the future! Highly recommendable for fans of Brazilian, Italian, and British-styled Progressive Rock, who love instrumental music in electro-acoustic format (Marcelo Trotta, Progressive Rock BR - http://www.progressiverockbr.com/previews2017.htm)

"Toutes les pièces sont calmes voir très calmes, un disque reposant en quelque sorte et sans que cela soit péjoratif un disque que vous pouvez mettre en fond sonore, pas prise de tête pour un sou. Mes préférences vont à "De Sol a Sol", "Metamorfose" et le morceau conclusif "Seculo XIV"" (Profil Prog - http://www.profilprog.com/caravela-escarlate-rascunho-review)

"Ronaldo Rodrigues skriver musiken till Arcpelago, sjunger och spelar klaviatur. Tillsammans med multiinstrumentalisten David Paiva (gitarr, bas, klaviatur, viola, violin etc.) har han duon Caravela Escarlate vars skiva ”Rascunho” (egen utgivning) och minsann om det inte är väldigt snarlikt Arcpelagos musik, fast utan trummor och driv, mer ett pastoralt lugn med akustiskt gitarr och synt i förgrunden, även om duon säger sig vara inspirerad av sydamerikansk populärmusik från 60- och 70-talen låter det mer Canterbury för mig utan någon som helst koppling till något rytmiskt dansant latino – men det är kanske mer jag som tror att det lät så då, det gjorde det tydligen inte alls." (Univesumnoll - http://www.universumnoll.com)

"Caravela Escarlate vem com o competente duo de músicos Ronaldo Rodrigues e David Paiva para a divulgação do recém lançado disco Rascunho. Disco ao qual tive a oportunidade de ouvir em sua totalidade e posso dizer que se trata de um trabalho impecável, regado a arranjos e instrumentação de alto nível." (Luciana Aun, Prog Rock Vintage - http://www.progrockvintage.com/search/label/CARAVELA%20ESCARLATE%20%26%20ARCPELAGO)

"Caravela Escarlate: lindo prog brasileiro influenciado por MPB" (http://whiplash.net/materias/biografias/253524-caravelaescarlate.html) 


24.4.12

Influências - David Paiva




Agora chegou a vez de David Paiva, multi-instrumentista das cordas da Caravela Escarlate, falar um pouco do som que lhe faz a cabeça: "Sou muito atraído pelo lado melódico da música, aquela coisa sinfônica. É o que mais me chama atenção no rock progressivo e na música em geral".


Mostrando um pouco de sua coleção de LP's e CD's, David Paiva comenta do que mais lhe influencia. "Muita coisa me influencia, mas se é pra citar, menciono Premiata Forneria Marconi, O Terço, Som Nosso de Cada Dia, Terreno Baldio, Yes, Renaissance, Boca Livre... Minha iniciação no som progressivo começou com o Yes, no disco Tales from Topographic Oceans, e no Criaturas da Noite do Terço, discos que meu pai tinha. Eu tinha um amigo na adolescência que me apresentou  coisas do Van der Graaf Generator, do Eloy e do Triumvirat, entre outras. Numa ocasião, eu tinha alguns trocados e fui até a casa de um colecionador no bairro de Oswaldo Cruz, no Rio, e por um precinho bem convidativo consegui comprar vários excelentes discos - ELP - Brain Salad Surgery, Renaissance - Prologue, PFM - Live in USA, a coletânea Yesterdays, Genesis - Nursery Crime, e mais alguns."



Falando em baixistas e guitarristas, as referências que surgem na mente da David são Chris Squire, Novelli, Pedro Baldanza, Fernando Gama, Giorgio Piaza, Steve Howe, Jan Akkerman, Toninho Horta. "Independente de qualquer mistura, melodias de impacto são as coisas mais interessantes pra mim. O progressivo causou uma forte influência em diversos outros estilos, como na MPB do pessoal do Clube da Esquina, e em uma série de outras coisas, onde aquela semente foi plantada."




17.3.12

Influências - Ronaldo Rodrigues

O tecladista da Caravela Escarlate, Ronaldo Rodrigues, considera-se acima de tudo mais ouvinte do que músico. "Respiro música. Se não estou ouvindo, estou tocando, e caso nenhuma das duas alternativas seja possível, fico imaginando música". Com relação as suas preferências, o tecladista é bastante variado e tenta absorver tudo do que ouve. 



"Minha escola de som foi a música clássica e o som dos anos 60. Como um fio condutor, de Led Zeppelin, The Doors e Jimi Hendrix, cheguei até Yes, Pink Floyd e todo um universo sonoro bastante expansivo e eclético. Acredito que melhorei muito como músico depois que passei a valorizar a audição tanto quanto a prática do instrumento. Hoje aprecio em iguais proporções o jazz, o fusion, a música brasileira e diversas vertentes do rock, sempre com muita atenção à sonoridade, da qual não dispenso o aparato analógico e todo seu charme. Por isso, quase tudo que ouço concentra-se nas décadas de 60 e 70. Depois desse período, o que mais ouço são coisas contemporâneas, bandas do agora, especialmente as que buscam revigorar e atualizar o conceito da época. Minha definição de influência não é propriamente uma base sobre a qual eu tento criar minhas coisas, mas sim bandas e artistas que ouço e que me motivam a ir correndo pro instrumento e criar meu próprio som. Determinadas bandas tem uma musicalidade que me emociona tanto que a vontade de sentar no teclado e partir pra criação é incrível. Tem outras que eu aprecio muito, mas não me causam essa vontade, é mais pra curtir mesmo. Nesse sentido, ficaria lógico dizer que não apenas tecladistas me influenciam, mas a mais variada gama de instrumentistas. Tem músicos que admiro pela musicalidade, outros pela técnica e outros ainda pela sonoridade e a maneira como exploram o instrumento. 



Para citar nomes: Keith Emerson, Jon Lord, Dave Stewart (Khan, Hatfield and the North, etc), Rick Wakeman, Thijs Van Leer, Patrick Moraz, Dave Sinclair, Brian Auger e Jan Hammer. No Brasil, minhas principais referências são Manito (Som Nosso de Cada Dia), Elias Mizhrai (Veludo) e Luiz Paulo Simas (Módulo 1000 e Vímana). Do jazz, Herbie Hancock e Jimmy Smith. Além dos tecladistas, me inspira a música de Jimi Hendrix, Steve Hillage, Jeff Beck, Jon Hiseman, Miles Davis, Larry Corryel e Alphonse Mouzon."

4.3.12

Um pouco de história

A Caravela Escarlate começou com o músico fluminense David Paiva, que desde a adolescência vem criando canções e histórias baseadas em ficção científica e poesias com temas da natureza. Com diversas formações intermitentes a partir do início dos anos 90, sempre nucleadas por David Paiva (guitarras, violões), a banda não conseguiu registrar nenhum material oficial no período. Após um hiato de alguns anos afastado do som progressivo, no final de 2010, David Paiva resolve retomar a Caravela Escarlate com nova formação. Para tal, escalou o jovem baterista carioca Tadeu Filho e por intermédio de uma conversa com o produtor Cláudio Fonzi, David Paiva toma conhecimento do tecladista Ronaldo Rodrigues, músico paulista radicado no Rio desde 2009, que também estava procurando músicos para trabalhar com este tipo de som. A partir disso, firmam-se como trio, com David assumindo o contrabaixo elétrico e demais instrumentos de corda, além dos vocais, Ronaldo nos teclados e Tadeu na bateria. 

A Caravela Escarlate, com esta nova formação, iniciou seus primeiros ensaios em março de 2011, no subúrbio do Rio, retrabalhando antigas composições de David Paiva. A estreia ocorreu no mesmo ano, em outubro, abrindo o show para a banda pernambucana Anjo Gabriel, que se apresentava pela primeira vez no Rio, com o recém-lançado álbum O Culto Secreto do Anjo Gabriel, em evento produzido por Claudio Fonzi (Som Interior Produções/Renaissance Discos).

No início de 2013, após as primeiras tentativas de gravar o álbum (uma demo e alguns testes em estúdio) Tadeu Filho deixa o grupo e em seu lugar ingressa o experiente baterista Henrique Moreira. Com essa formação, o primeiro show acontece no Rio Custom Festival, com calorosa recepção do público. Também em 2013, dividem o palco com a banda Unitrí e participam do Prog Camp, em Minas Gerais, bem como iniciam os trabalhos para gravação do primeiro disco. Por divergências pessoais e profissionais, o baterista Henrique Moreira retira-se do grupo no final daquele ano. Os trabalhos de gravação foram abandonados e 2014 torna-se um ano de vácuo para a banda. 

No final daquele ano, Ronaldo Rodrigues recruta o baterista Leandro Pires para se juntar ao grupo e retomarem as atividades. Depois de árduos ensaios, começam as gravações no home studio do baterista. Apenas um show ocorreu com esta formação, que em dezembro de 2015, se desfez. Novamente as gravações foram abortadas e meses de trabalho se perderam. Com a saída de Leandro Pires, David Paiva propõe a elaboração de um novo repertório, com canções a serem executadas em duo. Com esse objetivo, David Paiva e Ronaldo Rodrigues consolidam um repertório com composições eletro-acústicas e inteiramente instrumentais, que geraria o primeiro lançamento do grupo, gravado e produzido de forma totalmente independente, o álbum "Rascunho". No final de 2015, a Caravela Escarlate também integra-se a um grupo de músicos e bandas para formar o coletivo Cena Carioca de Música Progressiva - CCMP, visando a auto-produção de seus espetáculos e a promoção da música progressiva brasileira.
 
Paralelamente, no início de 2016, Ronaldo novamente sai à busca de um novo nome para a bateria e convida o veterano baterista Élcio Cáfaro (que já tocou com grandes nomes da MPB e do pop brasileiro, como Cássia Eller, Chico Buarque, MPB4, Flavio Venturini, entre muitos outros), com quem já havia tocado em projeto do guitarrista Luiz Zamith. Convite aceito, a nova formação estreia apenas em julho, no show de lançamento do álbum Rascunho (cujas gravações haviam se encerrado em maio de 2016), produzido pela CCMP. A banda então encontra-se na estrada, preparando-se para retomar as gravações de um novo álbum em julho/2017.

Caravela Escarlate - 2011-2015


Algumas fotos e lembranças da trajetória dos 4 primeiros anos da Caravela Escarlate, marcados por árduos ensaios e frequentes mudanças de formação. Nossa gratidão aos músicos e colaboradores deste período. 

Crédito das fotos: Maria E. Cananéa, João Cananéa, Patrícia Soter